Pesquisar este blog

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Smartphones ganham o 1º lugar no ranking de objetos que acalmam crianças (tirando o reinado da chupeta)


Smartphones são a nova
estratégia para acalmar as
crianças!!!!!!!!!
Os celulares ganharam o topo da
lista - no lugar das chupetas - dos
objetos mais usados pelas
americanas quando os filhos choram.


      Os tempos mudaram, e parece que as técnicas  para acalmar as crianças também. Uma pesquisa feita com 1.650 mães realizada pela Asda, uma rede de supermercados norte-americana, descobriu que 27% delas oferecem seus smartphones para os filhos quando eles choram. As chupetas, por outro lado, são usadas por apenas 9% das entrevistadas. Segundo o pediatra Sylvio Renan de Barros, da Sociedade Brasileira de Pediatria, o aparelho pode ser uma boa maneira de distrair crianças de 2 anos ou mais, mas sempre com limites. O tempo máximo de "tela" - TV, celular, computador - estabelecido pela Sociedade Brasileira de Pediatria é de duas horas por dia. “Para essas crianças, o uso do smartphone é uma boa solução já que os aparelhos têm alguns jogos que estimulam a coordenação cognitiva e a criatividade da criança", diz o especialista. A solução para o choro se torna mais um problema quando a criança deixa de brincar de outras formas e só quer saber do celular. Ainda bem que os números da pesquisa americana mostram que a maior parte das mães segue essa recomendação: 40% delas disseram que não deixam o filho ficar com o smartphone por mais de 10 minutos. Quando oferecer o aparelho para seu filho brincar, observe se ele mantém a tela a uma distância mínima de 30 centímetros dos olhos. Dessa forma, a luz não prejudica o desenvolvimento ocular, que se completa até os 8 anos.

"Normalmente, as crianças se adaptam bem. Elas conseguem ajustar a visão dos olhos ao objeto. Os pais devem ficar de olho caso o filho aproxime muito o celular do rosto, o que pode ser sinal de algum problema na visão", alerta o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto, do Instituto Penido Burnier, em Campinas (SP).
Já, para os menores de 1 ano, que
ainda não sabem brincar com o
aparelho e, claro, vão colocá-lo na
boca, Barros diz que a chupeta é
melhor que o celular na hora de
acalmar o filho. “Carregamos o
celular para todos os lados, na rua,
no trabalho, na bolsa. O risco de
contaminação é bem grande", alerta.
Mas, se o smartphone tem de ser
usado com moderação, a chupeta
também. Ou seja, não dá para a
criança ficar o dia inteiro com ela na
boca. Segundo o pediatra Luciano
Borges, presidente do Comitê de
Aleitamento da Sociedade Mineira
de Pediatria, ela deve ser retirada a
partir de 1 ano de idade e, no
máximo, até os 2.
Por que ele chora?
Vale lembrar que tão importante
quanto estratégicas para acalmar
seu filho, é preciso saber por que ele
está chorando. Até 1 ano, fome,
sede, dor, fralda suja, sono, calor ou
frio estão entre os motivos que levam
a criança a cair no berreiro. Para
saber como identificá-los,veja aqui.
A partir dos 2 anos, a causa da
maioria do choro da criança deixa de
ser fisiológica e passa a ser
psicológica. Isso acontece porque
ela ainda não sabe falar e só
consegue expressar seus
sentimentos por meio das lágrimas.
Falta maturidade para lidar com a
raiva, as angústias e frustrações
dessa idade. Quer saber como lidar
com essa situação? Confira nossas
dicas.